A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) iniciou no ano passado o acompanhamento de 91 pessoas na sequência de 62 crimes de homicídio, a maior parte delas mulheres, segundo um relatório da organização divulgado.

Segundo a organização, o Observatório de Crimes de Homicídio, cuja base de informação assenta na comunicação social, contabilizou em 2020 a existência de 89 crimes de homicídio em Portugal e 18 portugueses/as mortos/as no estrangeiro.

De acordo com o relatório divulgado, das 91 novas pessoas apoiadas pela Rede de Apoio a Familiares e Amigos de Vítimas de Homicídio e Terrorismo (RAFAVHT), 33 foram na sequência de homicídios tentados e 58 de homicídios consumados.

A APAV diz que pandemia de SARS-CoV-2 fez temer uma alteração significativa no padrão e número de homicídios, pelos confinamentos obrigatórios e coabitação/maior aproximação física entre potenciais vítimas e pessoas agressoras, mas sublinha que se verificou um ligeiro decréscimo no número de processos de apoio.

O apoio especializado a este tipo de vítimas surgiu em 2013, através da RAFAVHT e, até ao ano passado, apoiou um total de 723 pessoas. No mesmo ano, para apoiar as novas situações surgidas e as iniciadas em períodos anteriores, foram realizados 1.361 atendimentos.

“O número de crimes de homicídio consumado e de homicídio tentado é efetivamente menor do que o número de utentes que beneficiaram do apoio da RAFAVHT(i.e. processos de apoio), pois, por cada crime ocorrido, surgem em acompanhamento várias vítimas e/ou vários familiares e amigos/as”, esclarece a APAV.

Dos 89 crimes de homicídio reportados em 2020 nos órgãos de comunicação social em Portugal, 30 ocorreram em contexto de violência doméstica, sendo que 19 dizem respeito a relações de intimidade atuais ou passadas: 17 mulheres e dois homens.

A APAV sublinha que “um homicídio não se resume ao ato em si e às pessoas diretamente envolvidas” e que “tem impacto em muitas outras pessoas”, considerando fundamental que os/as familiares e amigos/as tenham apoio especializado.

Em 2020, na origem dos 33 processos de apoio por homicídio tentado estiveram 24 crimes. Já os 58 processos de apoio por homicídio consumado tiveram na sua base 35 crimes.

A APAV apresenta também o ‘site’ apav.pt/vitimasdehomicidio, recentemente renovado, onde poderá ser consultada informação útil sobre os crimes de homicídio e terrorismo e o impacto que têm na vida das vítimas, familiares e amigos/as.

Paralelamente, é relançado e disponibilizado gratuitamente no website um conjunto de informações destinadas a crianças entre os 5 e 12 anos: o “Manual de Factos – O que esperar quando alguém que conheces foi vítima de homicídio” e “O Meu Diário – Livro de exercícios para crianças em luto após um homicídio”.

/ HCL