A Direção-Geral da Saúde (DGS) confirmou esta quarta-feira a existência de três casos de covid-19 na sede. Um deles é a diretora-geral, Graça Freitas, que apresenta sintomas ligeiros, como já havia sido adiantado.

Grande parte da equipa encontrava-se em teletrabalho, aspeto que permite garantir a substituição dos dez trabalhadores que ficarão em isolamento ou isolamento profilático, assegurou a DGS.

A DGS garante que a sua operacionalidade será mantida neste período crítico da pandemia por COVID-19, através dos seus Subdiretores-Gerais, dos seus dirigentes e trabalhadores", pode ler-se no comunicado.

Uma vez que “grande parte da equipa” estava em teletrabalho, vai ser possível assegurar “a substituição dos trabalhadores” que vão ficar em isolamento profilático.

Segundo a DGS, Graça Freitas testou na terça-feira positivo e manifesta sintomas ligeiros da doença.

O rastreio de contactos pela Autoridade de Saúde Regional está atualmente em curso, para identificar todas as pessoas potencialmente expostas", refere em comunicado.

A conferência de imprensa que estava prevista na DGS foi cancelada.

Já o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, e o Secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, testaram negativo para a infeção por SARS-CoV-2, foi anunciado.

Os governantes do Ministério da Saúde realizaram teste de rastreio à Covid-19 ontem [terça-feira] à noite, dia 1, na sequência de identificação de contacto com a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, e não foram considerados contactos de alto risco pelas autoridades de saúde”, adiantou o Ministério da Saúde em comunicado.

Portugal contabiliza pelo menos 4.645 mortos associados à covid-19 em 303.846 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde.

António Guimarães