A GNR fiscalizou 8.706 condutores e instaurou 1.983 contraordenações no âmbito da operação “veículos mais seguros” realizada entre 28 e 30 de janeiro em todo o país para reduzir a sinistralidade rodoviária, indicou esta segunda-feira a corporação.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana adianta que registou 248 contraordenações por falta de inspeção periódica obrigatória, 236 relacionadas com anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, 69 por falta de seguro, 63 relacionadas com pneus e 53 relacionadas com chapas de matrícula, além de 21 relacionadas com películas não homologadas e 20 relacionadas com alterações às características dos veículos.

A operação de fiscalização rodoviária da GNR teve como objetivo “zelar pelas condições de segurança dos veículos em circulação, contribuindo para um ambiente rodoviário mais seguro e para a redução dos índices de sinistralidade rodoviária”, refere a corporação em comunicado.

Segundo a GNR, a maioria dos componentes que constituem o veículo necessita de uma aprovação para que este apresente níveis de segurança, de proteção ambiental e de qualidade satisfatórios, para o qual é sujeito a testes específicos com vista à sua homologação.

A GNR adianta que a degradação do estado geral dos veículos demonstra uma atitude negligente por parte dos respetivos condutores e proprietários, que poderá ter reflexos negativos na capacidade de reação a um imprevisto e contribuir para a ocorrência de um acidente de viação.

/ HCL