Portugal regista este sábado mais sete mortes e 413 novos casos de infeção por Covid-19, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS). O total de óbitos é, agora, de 1.605, sendo que já foram confirmados 43.569 contágios.

Existem mais 348 pessoas que recuperaram da doença, num total de 28.772 casos curados. O número de casos ativos é de 13.192.

O número de doentes internados voltou a descer (menos seis, com um total de 489), mas há mais um paciente em Cuidados Intensivos, num total de 73.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 31.486 contactos de pessoas infetadas, e existem neste momento 1.103 pessoas a aguardar resultados laboratoriais.

A região de Lisboa e Vale do Tejo registou mais 317 casos (77% do total) e é a primeira do país a ultrapassar os 20 mil contágios. Foi também nesta área que se registaram todas as vítimas mortais contabilizadas nas últimas 24 horas.

Boletim DGS 04/07 by António Guimarães on Scribd

No que diz respeito a mortalidade, as 498 mortes associadas à Covid-19, em Lisboa e Vale do Tejo, estão ainda abaixo das 819 ocorridas na região Norte.

Ainda em relação à região de Lisboa e Vale do Tejo, a DGS mantém a informação de que há 200 casos ainda por incluir no total, referentes a testes realizados por um laboratório que em três dias desta semana não os registou no sistema para o efeito, estando a sua distribuição ainda a ser analisada pelas autoridades de saúde.

Em Lisboa e Vale do Tejo os concelhos com o maior número de pessoas infetadas são os de Lisboa, com 3.645 casos (+81); Sintra, com 2.850 casos (+35); Loures, com 1.910 casos (+23); Amadora, com 1.780 casos (+7); Odivelas, com 1.183 casos (+26); e Cascais, com 1.061 casos (+20).

Na região Norte, os concelhos mais afetados são Braga, com 1.256 casos (sem novos casos); Vila Nova de Gaia, com 1.678 casos (+8); Porto, com 1.414 casos (sem novos casos); Matosinhos, com 1.292 casos (sem novos casos); Gondomar, com 1.093 casos (sem novos casos).

Sobre a distribuição etária das mortes registadas este sábado, o boletim adianta que uma pessoa tinha entre 40-49 anos; uma entre 60-69; e as restantes cinco mais de 80 anos.

Portugal continua sem registar qualquer óbito até aos 19 anos.

António Guimarães / Atualizada às 16:07 com Lusa