Em Salto, Montalegre, os casos de covid-19 aumentaram para os 44, oito na comunidade e 36 no lar que foi descontaminado e para onde hoje regressam os utentes que vão ser apoiados pela brigada de intervenção distrital.

O comandante dos bombeiros de Salto, Hernâni Carvalho, disse à agência Lusa que esta manhã decorreu a operação de retirada de 28 utentes do lar de Nossa Senhora do Pranto, sendo que 24 idosos positivos foram transportados para acomodação temporária no pavilhão multiúsos de Montalegre, que foi transformado num centro de acolhimento.

Quatro idosos negativos à doença foram levados para uma clínica de fisioterapia.

Hernâni Carvalho referiu que a evacuação temporária do lar se realizou para se proceder à descontaminação do edifício por parte de militares da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS) da GNR.

“Logo que haja condições de segurança eles [utentes] regressam todos ao lar”, referiu.

A operação de evacuação envolveu 15 bombeiros das corporações de Salto e Montalegre, mais elementos da Proteção Civil municipal e distrital, e o regresso far-se-á durante a tarde de hoje.

Para apoiar os idosos, entrou hoje em ação a brigada distrital de intervenção, afeta à Segurança Social e constituída por uma enfermeira e três técnicos de ação direta. Esta brigada pode, se for necessário, ser reforçada.

Os primeiros quatro casos de funcionárias do lar positivas à covid-19 foram conhecidos na quinta-feira e na sexta-feira foram realizados 57 testes a utentes da instituição, trabalhadores e familiares diretos.

Segundo Hernâni Carvalho, dos 30 utentes da instituição, 26 testaram positivo à doença e quatro negativo. Há dois idosos internados em unidade hospitalar, que já não estavam nas instalações.

Entre os cerca de 20 funcionários do lar, 10 deram também positivo à doença provocada pelo novo coronavírus.

De acordo com o comandante, na comunidade (extra lar) estão identificados, até ao momento, “oito casos positivos” de covid-19.

O Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil de Montalegre foi acionado na sexta-feira e foram anunciadas medidas de prevenção para “impedir a disseminação descontrolada do vírus”, como a suspensão das missas, feiras e dos serviços públicos camarários.

Entretanto, a corporação dos bombeiros de Salto garantiu que o socorro “está assegurado, tal como o transporte de doentes não urgentes" e que vai continuar “a apoiar a população, a entregar alimentos e medicamentos aos positivos que fazem o seu isolamento profilático, a todos quantos se querem recolher responsavelmente em casa”.

“O surto foi detetado, há várias cadeias de transmissão na comunidade e importa que as pessoas sejam contidas, alterem os seus comportamentos, a facilidade com que se já se encontravam em espaços públicos e, sobretudo, tenham a preocupação de usar sempre a máscara e levar e desinfetar as mãos. Se assim fizermos ultrapassaremos esta situação com êxito”, reiterou hoje o presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves.

Na vila, onde vivem cerca de mil pessoas, nota-se já uma mudança de comportamentos, com poucas pessoas a circularem nas ruas.

Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS, Portugal contabiliza pelo menos 1.995 mortos associados à covid-19 em 78.247 casos confirmados de infeção.

/ AM