O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) decidiu abrir um inquérito após morte de Carlos Amaral Dias numa ambulância.

Em comunicado, o Intituto esclarece que na manhã do dia 3 de dezembro, o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) recebeu um pedido de socorro para um homem de 73 anos com queixas de dificuldade respiratória, "tendo em consideração os sinais e sintomas referidos pelo contactante e após realizar a respetiva triagem clínica, o CODU acionou imediatamente uma Ambulância de Socorro dos Bombeiros Voluntários (BV) do Beato", onde Carlos Amaral Dias viria a morrer.

O Conselho Diretivo do INEM explica ainda que após uma análise à informação disponível sobre esta ocorrência, decidiu, de imediato, instaurar "um processo de inquérito para aferir com rigor todas as circunstâncias relacionadas com a situação e apuramento de eventuais responsabilidades". 

O INEM lamenta profundamente o desfecho que a situação veio a conhecer e apresenta as mais sinceras e sentidas condolências aos familiares e amigos de Carlos Amaral Dias”, lê-se na nota.

O psicanalista e professor Carlos Amaral Dias morreu na terça-feira de doença em Lisboa.