Três homens e uma mulher foram detidos no concelho de Sintra, por tráfico de estupefacientes, tendo-lhes sido apreendida droga, armas e mais de 75 mil euros, informou, esta quarta-feira, o comando metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (PSP).

A PSP revelou, em comunicado, que na segunda-feira a Divisão Policial de Loures, no seguimento de uma investigação relativa a um crime de tráfico de estupefacientes, iniciada em 2018, que já levou à detenção de dez pessoas, deteve mais três homens, com idades entre os 37 e os 47 anos, e uma mulher com 34 anos.

Um dos suspeitos foi detido em flagrante delito na zona de Sintra, por estar na posse de produto estupefaciente, enquanto os outros foram detidos mediante três mandados emitidos pela autoridade judiciária, também no mesmo concelho do distrito de Lisboa, “por estarem fortemente indiciados pela prática de tal crime”.

As autoridades policiais efetuaram 11 buscas domiciliárias nos concelhos de Sintra e Amadora, onde os suspeitos residiam e guardavam o produto estupefaciente.

Na sequência das quatro operações, após o cumprimento das buscas domiciliárias, as autoridades apreenderam 6.620 doses de heroína, 5.028 doses de cocaína, 21.269 gramas de produto indeterminado e oito doses de ‘ecstasy’.

Os detidos viram ainda ser-lhes apreendidas uma pistola e outra arma de fogo, de diferentes calibres, tal como as várias centenas de munições e cartuchos, além de uma soqueira, 75.312,80 euros em numerário, 25 telemóveis e diverso material relacionado com a pesagem e mistura da droga.

Os suspeitos “seriam os fornecedores de arguidos já detidos no âmbito do mesmo inquérito”, que desde dezembro passado levou à detenção, em diferentes momentos da investigação, de outras dez pessoas, acrescentou a nota da PSP.

Em março, a PSP deteve dois homens e uma mulher, com idades entre os 30 e os 50 anos, também na zona de Sintra, suspeitos de pertencerem a um grupo de tráfico de droga que atuava sobretudo no Alentejo.

A PSP indicou então que os “suspeitos estariam a dar continuidade à atividade delituosa em virtude de os seus anteriores fornecedores terem sido detidos, no âmbito do mesmo inquérito, em dezembro de 2018 e janeiro de 2019, no total de sete suspeitos”.

Os agora quatro detidos, todos “com antecedentes criminais pelo mesmo tipo de ilícitos”, foram presentes no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa Norte - Loures, para primeiro interrogatório, ficando três em prisão preventiva e outro com a medida de coação de apresentações quinzenais.