O Instituto da Mobilidade e dos Transportes afirmou hoje que está a analisar a proposta da Infraestruturas de Portugal para mitigar riscos em veículos de manutenção da ferrovia e, caso esteja em conformidade, a suspensão da circulação será levantada.

O anúncio do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) surge depois de ter decidido hoje suspender a circulação de veículos de manutenção da ferrovia, como aquele que colidiu contra um Alfa Pendular em Soure na sexta-feira, até que a Infraestruturas de Portugal (IP) adote medidas mitigadoras do risco.

O IMT confirma agora a receção, ao início da tarde, de uma proposta da IP nesse sentido, que consiste na necessidade de obtenção de "uma nova autorização do Centro de Comando Operacional para prosseguimento da marcha" dos veículos de conservação e fiscalização da ferrovia.

Se a proposta da IP, que está em avaliação, estiver em conformidade, este tipo de veículos poderá "voltar a circular e será levantada a suspensão de circulação" dos mesmos, frisou o IMT, sem avançar com qualquer previsão de data para o levantamento da suspensão.

De acordo com a mesma entidade, essa medida complementar de segurança, caso seja aceite, "deve vigorar até à instalação do sistema de controlo automático de velocidade [CONVEL] neste tipo de veículos".

Questionada pela agência Lusa, fonte da IP já tinha afirmado hoje que a expectativa é que haja "uma resposta em breve" do IMT à sua proposta, por forma a retomar a circulação destes veículos de manutenção da ferrovia. 

Segundo a mesma fonte, a manutenção da ferrovia continua a ser feita, "mas não com esses veículos".

Na sexta-feira, uma dresine (veículo de conservação da ferrovia) colidiu contra um Alfa Pendular, no concelho de Soure, distrito de Coimbra, na sequência da ultrapassagem indevida de um sinal vermelho, à saída da estação de Soure.

As dresines não têm sistema de controlo automático de velocidade, o que teria impedido a ultrapassagem.

O acidente provocou dois mortos, oito feridos graves e 36 feridos ligeiros.

. / PP