O homem que caiu esta manhã num poço de Valença, distrito de Viana do Castelo, foi “classificado como ferido grave” após queixas de “dores na coluna dorso-lombar”, pelo que foi transportado ao hospital, revelou à Lusa fonte dos bombeiros.

O homem de 50 anos, trabalhador de uma equipa de limpeza de mato da linha férrea, foi pelas 10:10 retirado do poço apresentando apenas ferimentos ligeiros, mas após ser assistido no local queixou-se de dores na coluna devido à queda, tendo sido levado para o hospital de Viana do Castelo, explicou o comandante dos bombeiros de Valença, Miguel Lourenço.

O poço tem “10 a 12 metros” de profundidade e o homem caiu “a meio, num patamar com uma tampa”, localizado entre “quatro a seis metros de profundidade”, descreveu a mesma fonte, explicando que “foi mais difícil encontrar o local” da queda do que retirar a vítima.

O homem de 50 anos é um trabalhador que integra uma equipa de limpeza de mato nos taludes da linha férrea. Não se sabe como caiu naquele poço”, observou o comandante.

O alerta para a operação de busca e resgate do homem do poço, situado entre a estação ferroviária de Valença e a Ponte Internacional, foi dado às 08:44 e, pelas 10:10, os bombeiros conseguiram tirá-lo do poço, acrescentou.

De acordo com informação disponível na página da Internet da Autoridade Nacional da Proteção Civil, no local encontravam-se, pelas 10:40, 21 operacionais apoiados por nove viaturas.

A mesma página refere que o acidente aconteceu na freguesia de Valença, Cristelo Covo e Arão.

Miguel Lourenço especificou que, no local, estiveram elementos dos bombeiros, uma viatura de Suporte de vida (SIV), a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Viana do Castelo e efetivos da GNR.