O ministro da Defesa anunciou que as praias vão ter um reforço de 169 militares da Marinha para garantir a segurança da época balnear.

“Este ano vamos ter um reforço de 169 pessoas da marinha para apoiar a autoridade marítima quando habitualmente vêm 70 ou 80”, disse João Gomes Cravinho em Portimão.

Ao falar na cerimónia de abertura da época balnear que decorreu na Praia da Rocha em Portimão, o ministro salientou que este reforço “visa aumentar o nível de segurança nas 552 praias” no território nacional.

Gomes Cravinho alertou para a possibilidade de este ano “o acesso às praias ser mais intenso devido ao enorme apego que os portugueses têm ao mar”.

O governante disse ainda que este ano, vai haver "uma redobrada vigilância às praias não vigiadas” para que os veraneantes possam desfrutar daqueles locais em maior segurança.       

O ministro lembrou que Portugal continua a ser um destino de férias seguro, lembrando que essa segurança é também responsabilidade da sociedade civil, “tratando-se de um exercício para que a época balnear corra de forma segura para todos”.

Aplicação Infopraia junta vigilância de 157 câmaras nas zonas balneares

A aplicação Infopraia que faz a monitorização das praias portugueses terá 157 câmaras como auxiliares para obter a informação da lotação do areal, anunciou hoje a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

“As mais de 150 câmaras são essenciais para obter a informação e dar segurança a quem frequenta as nossas praias”, afirmou o vice-presidente da APA, José Pimenta Machado, em Portimão.

Na apresentação da aplicação na cerimónia de abertura da época balnear na Praia da Rochas, em Portimão, Pimenta Machado destacou também o papel dos assistentes de praia “no fornecimento da informação para a aplicação”.

Disponível desde o ano passado para telemóveis com sistema operativos IOS e Android, a Infopraia permite este ano classificar as praias pela sua lotação com a intensidade indicada pelas cores – verde, amarelo e vermelho. Para esta nova funcionalidade, será necessário efetuar uma atualização.

É possível também aferir a qualidade da água de todas as praias, com as “6000 análises regulares” efetuadas pela APA e “informações sobre o tipo de apoio de praia e a existência de posto de socorro ou balneários”.

“Pode-se escolher por praia ou por concelho, saber a lotação e até indicar as direções para aceder à praia, de carro ou a pé”, destacou.

Para uma melhor difusão da difusão da informação a aplicação passou a disponibilizar uma versão em inglês e é também disponível online.

Cidadãos têm de ser cuidadosos no cumprimento das regras

O ministro de Ambiente congratulou-se com a abertura da época balnear, mas considerou que os cidadãos têm de ser cuidadosos no cumprimento das regras.

“Era fundamental que as praias abrissem para que as pessoas pudessem descansar e dinamizar a economia que gira à sua volta, mas tudo em segurança”, afirmou o ministro do Ambiente e da Ação Climática em Portimão.

Na cerimónia de abertura da época balnear, que decorreu na Praia da Rocha, em Portimão, João Pedro Matos Fernandes revelou-se orgulhoso “por não haver praias privadas em Portugal”, defendendo que o “acesso ao areal deve ser livre, mas há que garantir as regras impostas este ano”.

Depois de uma visita à praia para ver como foram implementadas as medidas contra a propagação da covid-19, o governante destacou a necessidade de garantir as distâncias de segurança “de metro e meio entre cada grupo e os três metros entre os chapéus de sol”.

O ministro evidenciou as soluções encontradas pelas autarquias e concessionários para melhorar os acessos, tendo alguns “desenhado caminhos para entrar e para sair” das praias.

Não havendo a necessidade de utilização de máscara quando se frequenta a praia, “este deve ser usada nos apoios de praia” e “devidamente descartadas nos recipientes do lixo adequados”, relembrou.

Sobre a possibilidade de “850 mil pessoas puderem estar nas praias portuguesas em simultâneo”, o ministro destacou a aplicação “Info Praia”, apresentada na cerimónia, advertindo no entanto que não foi possível fazer todos os testes. 

Destacando estar a acompanhar “a cada 30 minutos a aplicação”, Matos Fernandes afirmou que por todo o país “informação está a ser carregada”.

O ministro explicou que o mês de “junho será para afinações” e garantiu que em julho em agosto, meses de maior afluência das praias, “a afinação estará concluída”.

O Governo determinou que a época balnear pode começar este ano em 06 de junho, mas estabeleceu regras para a utilização das praias, devido à pandemia da covid-19, como um distanciamento físico de 1,5 metros entre diferentes grupos e afastamento de três metros entre chapéus de sol, toldos ou colmos.

Os toldos e chapéus a cargo dos concessionários só poderão ser alugados por cada pessoa ou grupo numa manhã (até às 13:30) ou tarde (a partir das 14:00) e todos os equipamentos como gaivotas, chuveiros, espreguiçadeiras ou cinzeiros “devem ser higienizados diariamente ou sempre que ocorra a mudança de utente”.

/ publicado por Andreia Miranda