Uma reclusa, de 34 anos, foi encontrada morta, na quarta-feira de manhã, na abertura das celas do Estabelecimento Prisional de Tires, confirmou o presidente do Sindicato Independente dos Guardas Prisionais, Júlio Rebelo, à TVI24.  

Segundo a mesma fonte, uma outra reclusa, também de cerca de 30 anos, teve de ser transportada ao hospital em estado crítico.

A TVI24 sabe que a reclusa que morreu é uma cidadã com dupla nacionalidade irlandesa e espanhola, que foi detida por tráfico de droga e condenada a cinco anos de prisão. 

Já a reclusa que foi hospitalizada sentiu-se mal depois de encontrar a companheira de cela morta.

Em comunicado, José Semedo Moreira, Diretor de Serviços de Organização, Planeamento e Relações Externas, esclarece que a reclusa foi encontrada pelas companheiras "que coabitavam na camarata" e que não é possível presumir que a morte tenha resultado de overdose.

"Os serviços clínicos do Estabelecimento Prisional de Tires procederam imediatamente a manobras de reanimação, tendo igualmente, sido chamado o INEM que veio a confirmar o óbito às 8.30 horas. O corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal para autópsia, cujos resultados se aguardam, pelo que se desconhece, por ora, a causa de morte. Todavia, o percurso prisional da reclusa não permite, à partida, presumir, que esta tenha resultado de overdose", lê-se ainda.

Sobre a reclusa que foi transportada ao hospital, José Semedo Moreira diz que a mulher, "que é doente cardíaca, durante uma avaliação de rotina, foi detetado que estava com a pressão arterial alta, pelo que, por prevenção, foi levada a observação em Hospital do Serviço Nacional de Saúde, após o que regressou ao estabelecimento prisional, encontrando bem".