O autoagendamento da vacina contra a covid-19 para pessoas com 25 ou mais anos ficou hoje disponível no portal da Direção-Geral da Saúde destinado a estas marcações.

A possibilidade de as pessoas a partir dos 25 anos poderem autoagendar a toma da primeira dose da vacina contra o vírus SARS-CoV-2 decorre depois de, no início desta semana, ter sido aberta a vacinação para a faixa etária entre os 18 e os 29 anos por ordem decrescente de idade.

  • Pode começar o processo de vacinação a partir deste link.

A convocação desta faixa etária está a ser feita através do agendamento central, com os utentes a receberem uma mensagem SMS ou um telefonema dos serviços de saúde, mas o autoagendamento ficará, gradualmente, disponível até aos 18 anos.

Esta modalidade permite que as pessoas selecionem o local e a data em que pretendem ser vacinadas, recebendo depois uma mensagem SMS com a confirmação do dia, da hora e do centro de vacinação. A confirmação do agendamento implica que seja enviada resposta ao SMS.

Na sequência da fase 2 do plano de vacinação e de um maior número de vacinas recebidas por Portugal, o portal para autoagendamento entrou em funcionamento em 23 de abril para pessoas com 65 ou mais anos e, desde então, tem ficado disponível para marcações das faixas etárias dos 50, 40 e 30 e, mais recentemente, dos 20 anos.

Portugal está a acelerar, nos últimos dias, a vacinação contra a covid-19 face à rápida disseminação da variante Delta, considerada mais transmissível e que já é a predominante no país.

Esse esforço fez já com que a vacinação atingisse um novo recorde diário na terça-feira, com mais de 154.600 vacinas administradas à população, anunciou hoje a ‘task force’ responsável pelo processo.

A equipa liderada pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo adiantou ainda, numa nota de imprensa, que nos últimos dois dias “foram administradas mais de 297 mil vacinas”, sublinhando que a nova marca “só foi possível com a compreensão e paciência de todos os utentes e o profissionalismo e a entrega dos profissionais de saúde”.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.126 pessoas e foram registados 896.026 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde. 

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, a Índia ou a África do Sul.