Um bombeiro morreu esta segunda-feira enquanto combatia um incêndio em Oliveira de Frades, no distrito de Viseu. A informação foi confirmada por fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro.

Pedro Daniel Ferreira, do Corpo de Bombeiros da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades, morreu por asfixia no decorrer do combate ao fogo que deflagrou esta tarde na localidade de Antelas.

Era um dos meus homens, da minha corporação. Era um bombeiro profissionalizado, pertencia à Equipa de Intervenção Permanente (EIP) e estava com os colegas no combate e ao que parece desviou-se um bocadinho para a direita e, às tantas, são surpreendidos por trás e ele fugiu para a frente”, contou o comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades.

Fernando Farreca explicou ainda que “foi aí que ficou desaparecido por algum tempo” uma vez que “a restante equipa estava mais desviada e conseguiu escapar”.

E “ele acabou por morrer mais à frente asfixiado, porque não tinha queimaduras no corpo”.

“Foi o fumo”, acrescentou o comandante, que disse que o bombeiro tinha desaparecido “um par de horas antes”.

Segundo a mesma fonte, o incêndio que começou às 11:24, na localidade de Antelas, freguesia de Pinheiro, Oliveira de Frades, “já está dentro de um perímetro que agora é necessário controlar, para que ele não fuja dessa área”.

A Liga dos Bombeiros Portugueses manifestou condolências à família, informando que as bandeiras serão colocadas a meia haste.

Em comunicado, a Liga expressou a todos os bombeiros “o mais profundo sentimento de respeito e solidariedade”.

Pedro Ferreira tinha 38 anos de idade, era casado e deixa um filho de oito anos.

Todas as associações/corpos de bombeiros colocam as bandeiras a meia haste, a partir de hoje e até ao final do dia do funeral do bombeiro Pedro Ferreira, como forma “de sentida homenagem nacional ao Soldado da Paz falecido em serviço”, acrescenta-se na nota à imprensa.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, lamentou a morte do bombeiro e endereçou as condolências aos familiares, amigos e colegas da vítima.

Recebi, com muita tristeza, a notícia da morte do bombeiro Pedro Daniel Ferreira, do Corpo de Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades, durante as operações de combate ao incêndio que deflagrou esta segunda-feira no concelho de Oliveira de Frades, distrito de Viseu", lê-se no comunicado enviado às redações pelo gabinete do governante.

Na mesma nota, Eduardo Cabrita lembra também "a forma generosa, profissional e sempre abnegada com que, todos os dias, milhares de bombeiros integram este esforço nacional de defesa da floresta contra os incêndios".

O primeiro-ministro também manifestou a sua consternação pela morte do bombeiro.

Foi com consternação que recebi a notícia do falecimento do bombeiro Pedro Daniel Ferreira, do Corpo de Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades, durante as operações de combate a um incêndio que decorre na região. Endereço os meus sentidos pêsames à família, amigos e ao Corpo de Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades", escreveu António Costa no Twiiter.

Na sua mensagem, António Costa transmitiu também a todos os bombeiros uma mensagem de solidariedade, incentivo e agradecimento pela forma empenhada com que todos os dias dão o seu melhor no combate aos incêndios, no apoio às populações, na defesa da floresta e por Portugal".

Também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já lamentou a morte do bombeiro, considerando que os bombeiros portugueses "se têm confrontado com perdas irreparáveis".

Numa nota divulgada no portal da Presidência da República na Internet lê-se que o chefe de Estado "lamenta, com profunda consternação, a morte do bombeiro Pedro Daniel Ferreira, do Corpo de Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades, que perdeu a hoje vida durante o combate a um incêndio florestal" naquele concelho.

Infelizmente, esta notícia deixa de novo muito consternados todos os portugueses, que reconhecem as grandes exigências diárias que enfrentam os bombeiros portugueses, que se têm confrontado com perdas irreparáveis", acrescenta Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República "envia as mais sentidas condolências à família enlutada e ao Corpo de Bombeiros de Oliveira de Frades, abraçando, nesta hora difícil, a causa de todos os bombeiros de Portugal".

Entretanto, o ministro da Administração Interna determinou a abertura de um inquérito ao incêndio em Oliveira de Frades.

/ SS - atualizada às 21:02