O incêndio que começou no sábado à noite na serra de Sintra e alastrou a Cascais, já provocou 21 feridos ligeiros, entre os quais duas dezenas de operacionais e um civil, adiantou a Proteção Civil cerca das 13:00.

De acordo com o comandante distrital de Lisboa da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), André Fernandes, o incêndio, que entretanto foi dado como dominado, provocou até ao momento "um total de 21 vítimas".

Falando no 'briefing' que decorreu cerca das 13:00, nos Paços do Concelho de Cascais, o comandante precisou que entre as vítimas estão "10 operacionais e um civil" que foram levados a uma unidade hospitalar, "tudo com ferimentos ligeiros relacionados com traumas oculares e traumas também nos membros inferiores, entorses e alguma luxações". Já a vítima civil teve "queimaduras de primeiro e segundo grau, em menos de 10% do corpo", mas entretanto "já teve alta e já está no seu domicílio", acrescentou.

A estes, juntam-se "10 bombeiros assistidos no teatro de operações, que não tiveram de ser deslocados e que voltaram ao combate", adiantou André Fernandes aos jornalistas.

Cerca de 300 pessoas foram retiradas do parque de campismo de Cascais e outras 47 foram levadas das casas, localizadas em toda a área do incêndio. 

Num anterior balanço, feito às 09:00 desta manhã, André Fernandes disse que se tratou da "maior evacuação feita por precaução” e decorreu "dentro da normalidade, não havendo vítimas a registar nem danos materiais". Foram ainda evacuados alguns clubes e centros hípicos, de modo a colocar os animais em segurança.

O fogo começou na noite de sábado e teve umas "primeiras horas muito muito difíceis", referiu André Fernandes na mesma altura, explicando que a ação dos meios foi defensiva e deu resultados.

Sete meios aéreos chegaram esta manhã, por volta das 08:00, ao teatro das operações. O fogo tinha nessa altura duas frentes ativas e estava a ser combatido por 758 operacionais apoiados por 220 meios terrestres, além dos meios aéreos. As zonas da Charneca, da Malveira da Serra e do Guincho eram as que mais preocupavam os bombeiros. 

O incêndio começou sábado às 22:50 na Peninha, na serra de Sintra, distrito de Lisboateve uma progressão muito rápida e avançou do concelho de Sintra para o de Cascais. 

Depois do vento forte, que chegou aos 100 quilómetros por hora entre a meia-noite e as 00:02/0003 da madrugada, a Proteção Civil explicou que, esta manhã, que as condições meteorológicas eram mais favoráveis, nomeadamente devido à baixa das temperaturas.