O Ministério da Saúde nega que Portugal esteja a desperdiçar a sexta dose da vacina da Pfizer contra a covid-19, utilizando apenas cinco das seis doses disponíveis em cada frasco da vacina, como noticiou o Expresso, nesta sexta-feira.

É falso que Portugal tenha desperdiçado a 6.ª dose", defende, em comunicado.

Segundo a tutela, a "prática generalizada dos postos de vacinação" tem sido a "utilização da sexta dose", sempre que cumpridas as condições exigidas.

Conforme Nota do INFARMED de 30 de dezembro, a possibilidade de extrair 6 doses foi confirmada, permitindo a administração de 6 doses por frasco, desde que fosse sempre verificado e assegurado o volume de 0,3 ml previamente a cada administração. As doses devem ser retiradas em condições assépticas e utilizando agulhas e seringas apropriadas. Esta Nota foi divulgada e disseminada estando a ser praticada na administração desta vacina", esclarece o Ministério da Saúde.

De acordo com o Expresso, a falta de uma norma da Direção-Geral da Saúde (DGS) que permita preparar seis doses por cada frasco da vacina da Pfizer já obrigou a desperdiçar uma quantidade que daria para vacinar seis mil portugueses.

O desperdício é, segundo o jornal, generalizado entre os países europeus e deve-se à inércia da Agência Europeia de Medicamentos em aprovar o pedido do primeiro laboratório fornecedor, Pfizer, para que sejam preparadas seis e não cinco doses por frasco.

Esta orientação [de extrair seis doses] foi dada no contexto da discussão em curso, no âmbito da rede, integrada pelo INFARMED, de autoridades reguladoras do medicamento da União Europeia e da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), tendo a empresa titular de Autorização de Introdução no Mercado submetido formalmente o pedido de alteração da extração do número de doses por frasco, cuja avaliação será hoje concluída e que será objeto de comunicação posterior. Esta atualização irá, subsequentemente, ser refletida na Norma da DGS, elaborada de acordo com o Resumo das Características do Medicamento (RCM)", indica, ainda.

EMA atualiza número de doses

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) atualizou as informações sobre a vacina covid-19 da Pfizer/BioNTech esclarecendo que cada frasco contém o suficiente para seis doses, em vez das cinco recomendadas até agora.

Para obter as seis doses completas, a EMA aconselha o uso de uma seringa de "baixo volume" (não mais do que 0,035 mililitros) para a extração e avisa que "se forem usadas seringas e agulhas padrão, pode não haver vacina suficiente para extrair a sexta dose do frasco”.

Se estas recomendações forem seguidas, os países da União Europeia poderão obter dezenas de milhares de doses da vacina além das inicialmente planeadas.

Contudo, diz a EMA, caso não se obtenha a dose completa de um frasco - 0,3 mililitros - deve descartar-se o que sobra.

“Não deve haver combinação de vários frascos para obter a dose completa e qualquer vacina não utilizada deve ser descartada seis horas após a diluição”, alerta a EMA, referindo-se à possibilidade de juntar o conteúdo dos diferentes frascos para chegar à quantidade necessária para uma dose.

Catarina Machado / com Lusa