Um homem de 60 anos ficou hoje em prisão preventiva, após ter sido detido em Sernancelhe suspeito de ter ateado três focos de incêndio em áreas florestais, adiantou à agência Lusa fonte da Polícia Judiciária.

A Unidade Local de Investigação Criminal da Polícia Judiciária de Vila Real, em colaboração com o Posto de Sernancelhe da Guarda Nacional Republicana, anunciou em comunicado a detenção do homem, pastor, fortemente indiciado pela prática do crime de incêndio florestal em Sernancelhe, distrito de Viseu.

Fonte da Polícia Judiciária acrescentou ainda que o detido, que foi presente a interrogatório judicial, vai ficar a aguarda julgamento em prisão preventiva.

Segundo comunicado, os incêndios, ocorridos nos dias 20 de agosto, 02 e 07 de Setembro de 2019, consumiram cerca 100 hectares de área de mancha florestal, constituída, maioritariamente, por mato e agrícola.

“Os focos de incêndio colocaram ainda em perigo uma vasta mancha florestal, constituída por áreas de mato e agrícola, de valor consideravelmente elevado, que apenas não foram consumidas devido à rápida intervenção dos bombeiros”, realça ainda.