O Instituto da Segurança Social (ISS) e a GNR encerraram hoje, "com caráter de urgência", um lar de idosos que funcionava ilegalmente em Caria, Belmonte, confirmou à Lusa fonte oficial do ISS.

A GNR da Covilhã deteve três suspeitas de explorarem o lar de idosos. Em declarações à Lusa, o comandante do Destacamento Territorial da Covilhã (distrito de Castelo Branco), Luís Moreira, adiantou que os detidos são um casal e uma filha com 48, 46 e 19 anos, respetivamente, e que serão presentes a tribunal na sexta-feira.

Em resposta escrita às questões da agência Lusa, o ISS informou que estavam naquele espaço cinco idosos "em situação de risco iminente" e confirmou que existem suspeitas de maus-tratos.

"Esta ação decorreu em estreita articulação com o Destacamento da GNR da Covilhã, em virtude de se encontrar atualmente em curso um processo de inquérito crime que tem por objeto o equipamento ilegal em causa e os seus responsáveis, tendo em conta indícios da ocorrência de maus-tratos aos utentes acolhidos", é referido.

Na resposta à Lusa, o ISS esclarece que o processo teve origem numa "denúncia anónima" e que a intervenção que se encontra em curso no dia de hoje naquela localidade "decorre da emissão de mandados de busca pelos serviços competentes do Ministério Público, no âmbito do mencionado inquérito crime".

"O estabelecimento tinha a seu cargo cinco idosos, incluindo a mãe da proprietária, que se encontravam numa situação de perigo iminente", acrescenta o ISS.

O ISS explica ainda que para a ação de hoje também foi também "solicitada a colaboração da autoridade de saúde local para avaliação do estado de saúde dos utentes".

"Duas pessoas foram encaminhadas para a Santa Casa da Misericórdia de Belmonte, outra ficou numa instituição de Caria, outra foi para o Colmeal da Torre (Belmonte) e outra para o Teixoso", especificou o comandante da GNR da Covilhã.