Cerca de uma centena de trabalhadores de restaurantes, hotéis, cafés, pastelarias e similares manifestaram-se nesta quinta-feira, em frente ao Ministério do Trabalho, em Lisboa, para exigir apoios diretos aos trabalhadores e não só às empresas e pela reabertura imediata de estabelecimentos.

A iniciativa foi convocada pela Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (FESAHT), afeta à CGTP-IN, e juntou pessoas de vários pontos do país, no âmbito de uma ação nacional de luta.

“Para os patrões são milhões, para os trabalhadores só tostões”, gritaram os manifestantes, que aprovaram, por unanimidade e com aclamação, uma moção que foi entregue no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, onde exigem “apoio direto aos trabalhadores que foram ou são penalizados nos seus rendimentos mensais”.

Os trabalhadores daqueles setores pedem, ainda, ao Governo a "reabertura imediata de todas as empresas, estabelecimentos e serviços de alojamento, restauração, bebidas e similares".

/ CM