Um incêndio que deflagrou no rés-do-chão de um prédio de três andares na Estrada Salvador Allende, na Venteira, Amadora, fez esta segunda-feira de manhã um morto e seis feridos, três dos quais graves.

De acordo com o comandante Mário Conde, dos Bombeiros da Amadora, em declarações à TVI24, a vítima mortal é uma menina de um ano.

"Foi um alerta às 7:20 da manhã para um incêndio numa habitação. Quando chegámos ao local encontrámos um rés-do-chão do edifício todo tomado pelas chamas onde tinha já propagado para a caixa das escadas. Portanto, o resultado deste incêndio foi seis vítimas, três graves, três ligeiras, e uma vítima mortal: uma menina de um ano. Das vítimas graves há também uma criança de oito meses. O incêndio foi dominado. Tivemos alguma dificuldade no resgate das vítimas visto que o incêndio tomou a caixa das escadas tivemos de retirar grande parte das vítimas pela janela (...) [O fogo] Foi numa habitação no rés-do-chão e conseguimos confinar o incêndio àquele apartamento só que a evolução do incêndio passou-se para a caixa das escadas o que dificultou que as vítimas saíssem e uma das vítimas mortais, vinda dos andares superiores, foi causada pela saída da mãe em que a criança acabou por ficar caída na caixa das escadas", contou o comandante.

Entre os feridos graves estão ainda duas mulheres, uma de 28 anos que foi transportada para o Hospital de S. José e outra de 25 anos.

A vítima de 25 anos é a mãe da criança que morreu no incêndio e que foi levada para o Hospital de Santa Maria. Dada a gravidade dos ferimentos, teve de ser helitransportada para a Unidade de Queimados no hospital da Prelada, no Porto. 

Já entre os feridos leves encontra-se uma grávida com cerca de 25/30 anos e uma criança de seis anos, que foram transportados ao hospital Amadora-Sintra, e um morador com cerca de 30 anos que foi assistido no local. 

No local estiveram 26 operacionais apoiados de 9 veículos dos Bombeiros de Amadora, Bombeiros de Queluz, PSP e a VMER do Hospital Amadora-Sintra. No local está também uma equipa de psicólogos que está a avaliar o pai da menina.

A Polícia Judiciária está a investigar o caso.

Andreia Miranda / Notícia atualizada às 11:54