A investigadora Elvira Fortunato venceu o Prémio Pessoa 2020, anunciou esta quinta-feira o júri, numa transmissão 'online'.

O Prémio Pessoa é uma iniciativa do semanário Expresso e da Caixa Geral de Depósitos, e visa "representar uma nova atitude, um novo gesto, no reconhecimento contemporâneo das intervenções culturais e científicas produzidas por portugueses".

O júri deste ano foi composto por é composto por Francisco Pinto Balsemão (presidente), Emídio Rui Vilar (vice-presidente), Ana Pinho, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho-Marques.

Cientista, professora catedrática e vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa, Elvira Fortunato é especialista em Microelectrónica e Optoelectrónica, e uma das inovações pela qual se destaca é a do transístor de papel.

A ideia de usar o papel como um 'material eletrónico' abriu portas, em 2016, para futuras aplicações em produtos farmacêuticos, embalagens inteligentes ou microchips recicláveis, ou até páginas de jornal ou revistas com imagens em movimento", relembra o júri.

O Prémio Pessoa, no valor de 60 mil euros, é uma iniciativa do semanário Expresso e da Caixa Geral de Depósitos, e visa reconhecer a atividade de pessoas portuguesas com papel significativo na vida cultural e científica do país.

O júri deste ano foi composto por Francisco Pinto Balsemão (presidente), Emílio Rui Vilar (vice-presidente), Ana Pinho, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho-Marques.

O anúncio do Prémio Pessoa 2020 deveria ter acontecido em dezembro, mas foi adiado por causa da pandemia da covid-19.

Entre os vários galardoados com este prémio, desde que foi instituído, em 1987, contam-se personalidades como José Mattoso, António Ramos Rosa, Maria João Pires, Menez, António e Hanna Damásio, Herberto Helder (que o recusou), Vasco Graça Moura, João Lobo Antunes, José Cardoso Pires, Eduardo Souto Moura, João Bénard da Costa, Sobrinho Simões, Mário Cláudio, Luís Miguel Cintra, Maria do Carmo Fonseca, Eduardo Lourenço, Maria Manuel Mota, Richard Zenith, Manuel Aires Mateus, Rui Chafes, Frederico Lourenço e Tiago Rodrigues.

Ministro considera cientista Elvira Fortunato “exemplo para todas as jovens”

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, felicitou hoje a cientista Elvira Fortunado pela distinção com o Prémio Pessoa 2020, considerando-a um “exemplo para todas as jovens”.

É um exemplo para todas as jovens sobre o papel das mulheres na ciência e no avanço das ciências e tecnologias dos materiais”, sublinhou o ministro numa reação enviada à agência Lusa.

 

Presidente da República felicita Elvira Fortunato pelo Prémio Pessoa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou esta quinta-feira a cientista Elvira Fortunato, vencedora do Prémio Pessoa 2020, considerando que é "um reconhecimento merecido".

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa congratula calorosamente a professora doutora Elvira Fortunato pelo Prémio Pessoa 2020, um reconhecimento merecido pela importância do seu trabalho na área da eletrónica flexível, com grande impacto na indústria mundial e que demonstra uma preocupação ambiental pelo uso de materiais ecossustentáveis, recicláveis e de baixo custo", lê-se numa nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet.

Nesta mensagem, o chefe de Estado elogia Elvira Fortunato pela sua "excelência a nível científico e de inovação" e destaca os "inúmeros prémios e distinções a nível internacional" atribuídos à cientista portuguesa, "pioneira na área de eletrónica flexível, em particular nos transístores de papel".

Em 2015 foi nomeada presidente da comissão organizadora das comemorações do Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas, e é desde junho de 2016, por nomeação do Presidente da República, membro do Conselho das Ordens Nacionais portuguesas. Foi-lhe atribuído o grau de grande-oficial da Ordem do Infante D. Henrique em 2010", assinala-se na nota.

Costa destaca trabalho “inovador” de Elvira Fortunato e “centralidade” da ciência

O primeiro-ministro considerou hoje que a atribuição do Prémio Pessoa 2020 à investigadora Elvira Fortunato distingue o seu trabalho inovador na área das tecnologias sustentáveis e constitui um sinal da centralidade da ciência como motor de desenvolvimento.

A atribuição do Prémio Pessoa a Elvira Fortunato é mais um reconhecimento do seu trabalho inovador em investigação de tecnologias sustentáveis e da sua notável capacidade empreendedora", escreveu António Costa na sua conta pessoal na rede social Twitter.

Na mesma mensagem, o primeiro-ministro defende também que a escolha do júri do Prémio Pessoa "é também um importante sinal da centralidade da ciência como motor de desenvolvimento nacional".

/ HCL/editado às 14:52