A mãe e a tia suspeitas de matar a recém-nascida, na noite de segunda-feira, em Corroios, ficaram em prisão em preventiva, apurou a TVI24.

As duas irmãs gémeas estão indiciadas pelo crime de homicídio qualificado, o que significa, segundo a lei portuguesa, que podem ser condenadas a 25 anos de prisão.

O comunicado da Polícia Judiciária divulgado esta terça-feira à tarde, enquanto as duas suspeitas eram presentes a tribunal, é claro em afirmar que os indícios que recaem sobre as duas mulheres, mãe e tia da bebé, são fortes e enquadram-se num crime de homicídio qualificado e não, como poderia ser expectável, num crime de infanticídio, que tem um moldura penal muito inferior.

Ao que a TVI24 conseguiu apurar, a autópsia revelou que a mãe terá morto bebé com três golpes no coração.

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Setúbal, identificou e deteve duas mulheres, com 25 anos de idade, "por sobre elas recaírem fortes indícios da prática do crime de homicídio qualificado”, lê-se.

No crime de segunda-feira à noite, a Polícia Judiciária terá encontrado motivos para considerar que a morte ocorreu fora dos contornos de um crime de infantícidio e dentro das circunstâncias de homicídio qualificado, cometido pelas duas irmãs. Uma, alegadamente a mãe, terá morto a bebé com uma faca, e a outra, a tia, terá assistido, não sendo ainda claro o papel que teve na morte da bebé: a mulher de 25 anos pode ser condenada como cúmplice e enfretar a mesma pena que a mãe da bebé, ainda que atenuada.