O interrogatório ao pai e à madrasta de Valentina, a menina encontrada morta no domingo depois de ter sido dada como desaparecida, foi adiado para a manhã de terça-feira, sabe a TVI.

Sandro Bernardo e a mulher, Márcia, eram esperados no Tribunal de Leiria ao início da tarde desta segunda-feira, para conhecerem as medidas de coação, mas o Tribunal de Leiria quer ver o relatório da autópsia antes de ouvir os dois suspeitos.

O processo ainda está nas mãos do Ministério Público e, por isso, o juiz de instrução decidiu adiar o primeiro interrogatório judicial para o dia seguinte.

O casal está preso preventivamente, "fortemente indiciado" da morte da criança de nove anos.

Valentina, de 9 anos, que se encontrava desaparecida desde quinta-feira, após denúncia do pai à GNR, foi encontrada morta no domingo pela Polícia Judiciária, escondida numa zona de mato na Serra d'El-Rei, a cerca de cinco quilómetros de casa, depois de o pai ter confessado a localização do corpo.

A PJ deteve o pai e a madrasta como os principais suspeitos, após interrogatórios e provas recolhidas. A TVI sabe que o irmão mais velho de Valentina testemunhou o crime.

A TVI sabe também que Valentina terá sido asfixiada.

A criança terá sido morta na tarde de quarta-feira dentro da moradia da família e o corpo levado depois para um eucaliptal, onde foi tapado com arbustos.

A menina residia com a mãe, mas estaria a viver com o pai no atual contexto da pandemia, para poder continuar a ter aulas online.

A mãe, Sónia Fonseca, reagiu nas redes sociais à morte da filha.