O Processo Marquês foi distribuído à juiza Margarida Alves, a mesma do Football Leaks.

A distribuição do processo ocorreu durante a manhã desta sexta-feira e a escolha recaiu sobre a juíza que tem estado a julgar o pirata informático Rui Pinto, no âmbito do caso Football Leaks.

Uma fonte judicial adiantou que Vítor Pinto foi o procurador designado para representar o Ministério Público neste julgamento.

Vítor Pinto é também o procurador nos julgamentos, em separado da Operação Marquês, quer do ex-presidente do Banco Espírito Santo Ricardo Salgado quer do antigo ministro e ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos, Armando Vara.

Margarida Alves será, assim, responsável por julgar o mediático processo que envolve o antigo primeiro-ministro José Sócrates e Carlos Santos Silva.

Na decisão instrutória do Processo Marquês, Ivo Rosa decidiu que Sócrates, acusado de 31 ilícitos, vai a julgamento por três crimes de branqueamento de capitais e outros três de falsificação de documentos, os mesmos pelos quais o seu amigo e empresário Carlos Santos Silva está pronunciado, dando como provado que o empresário corrompeu o antigo chefe de Governo, configurando um crime [de corrupção ativa sem demonstração de ato concreto] que considerou estar prescrito.

Dos 28 arguidos foram pronunciados além de Sócrates e Carlos Santos Silva, o ex-presidente do BES Ricardo Salgado, por três crimes de abuso de confiança, o antigo ministro Armando Vara por lavagem de dinheiro e o ex-motorista de Sócrates João Perna por posse ilegal de arma.

Inês Pereira