Foram detidos os oito migrantes marroquinos intercetados, esta manhã, pela Polícia Marítima, depois de desembarcarem na praia de Monte Gordo, no Algarve.

Os oito jovens do sexo masculino, com idades entre os 16 e os 20 anos, que alegam ser de nacionalidade marroquina, foram intercetados já nas dunas, onde estavam escondidos.

O grupo apresentava sintomas de princípio de hipotermia e foi transportado para o comando local da Polícia Marítima de Vila Real de Santo António, com a colaboração da Guarda Nacional Republicana.

Foram entretanto detidos pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, por suspeitas de imigração ilegal, disse fonte do SEF.  As autoridades estão a proceder a diligências para "apurar a nacionalidade e as idades" dos oito jovens, que não possuem documentos.

Cerca das 15:00, a Polícia Marítima colocou uma carrinha de transporte de passageiros junto à porta da garagem da capitania do porto algarvio e, poucos minutos depois, os alegados migrantes, todos do sexo masculino e com idades entre os 16 e os 20 anos, entraram um a um no veículo, algemados com bridas de plástico, antes de seguirem sob escolta policial para destino não revelado pelas autoridades, constatou a agência Lusa no local.

A carrinha saiu escoltada por mais dois veículos, um na parte traseira, da Polícia Marítima, e outro na dianteira, pertencente ao SEF, que não esclareceu os jornalistas presentes no local sobre o destino dos oito migrantes.

Jovens dizem que vêm de El Jadida

Os oito jovens alegam que viajaram desde a cidade de El Jadida, em Marrocos, e que estiveram durante cinco dias no mar até desembarcarem naquela praia do distrito de Faro.

O alerta foi recebido às 10:10 para uma embarcação encalhada na praia de Monte Gordo, "com pessoas a desembarcarem na praia".

A Polícia Marítima, que se encontrava no local no âmbito de uma ação de fiscalização, "dirigiu-se de imediato para a praia, por via marítima e terrestre", acabando por intercetar os jovens nas dunas da praia.

Em dezembro de 2007, as autoridades detetaram um grupo de 19 migrantes alegadamente provenientes de Marrocos na ria Formosa, junto a Olhão, naquele que foi o primeiro incidente do género registado na costa portuguesa.