Portugal contabilizou esta sexta-feira 95 óbitos, um novo máximo de mortes relacionadas com a covid-19 em 24 horas e ainda 5.080 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 5.373 mortes e 340.287 casos de infeção pelo novo coronavírus, estando ativos 71.266, mais 885 do que na quinta-feira.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS indica que estão internadas 3.230 pessoas, menos 74 do que no dia anterior, das quais 507 em salas de cuidados intensivos, menos duas do que na quinta-feira.

 

284_DGS_boletim_20201211 by TVI24 on Scribd

Mondim de Basto, Chaves e Vimioso com dobro da incidência do Norte

Os concelhos de Mondim de Basto, Chaves e Vimioso têm o dobro da incidência de infeções pelo novo coronavírus da região Norte, cuja média é de 829 novos casos por 100 mil habitantes, segundo o relatório Administração de Saúde.

O documento da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), a que a Lusa teve hoje acesso, reporta a evolução da situação epidemiológica entre a semana de 19 a 25 de novembro e 03 a 09 de dezembro.

Nos concelhos abrangidos pela ARS-N, Mondim de Basto, Chaves (distrito de Vila Real) e Vimioso (distrito de Bragança) são os que apresentam as maiores incidências, com mais de 2.200, 2.000 e 1.600 casos por 10 mil habitantes.

A região Norte contabiliza uma média de 829 novos casos por 100 mil habitantes naquele período de 14 dias.

A incidência em Mondim de Basto, no distrito de Vila Real, fixa-se agora nos 2.274 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

Entre a última semana de novembro e primeira de dezembro, o concelho registou um aumento de 32% de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2.

Chaves, também no distrito de Vila Real tem uma incidência de 2.023 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

Vimioso, no distrito de Bragança, regista uma incidência de 1.665 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

Entre a última semana de novembro e a primeira de dezembro, Vimioso contabilizou mais 279% de novos casos (passando de 14 para 53).

A estes três municípios sucede-se Vila Pouca de Aguiar, Trofa, Esposende, Vila Nova de Famalicão, Vieira do Minho, Armamar, Guimarães e Póvoa de Lanhoso.

Nestes oito concelhos a incidência é superior a 1.200 casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

O relatório indica ainda que dos seis distritos abrangidos pela ARS-N, Bragança, Vila Real e Viana do Castelo contabilizaram um aumento de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2 no inicio de dezembro.

O distrito de Bragança registou um aumento de 17%, tendo passado de 297 novos casos na última semana de novembro para 348 na primeira de dezembro.

Neste distrito, os concelhos de Vinhais, Vimioso e Bragança também acompanharam esta tendência, registando um crescimento de 317%, 279% e 75%, respetivamente.

O distrito de Viana do Castelo reportou um aumento de 4%, tendo passado de 484 novos casos na última semana de novembro para 505 na primeira de dezembro.

Aqui, apenas os municípios de Arcos de Valdevez, Melgaço e Vila Nova de Cerveira contrariaram esta tendência, sendo que os restantes sete concelhos aumentaram o número de novos casos.

O distrito de Vila Real contabilizou um aumento de 2%, tendo passado de 1.022 novos casos para 1.038.

Neste distrito, Vila Pouca de Aguiar, Mesão Frio e Montalegre também acompanharam o crescimento de novos casos, com a taxa a fixar-se nos 172%, 133% e 114%.

Os distritos de Aveiro [onde a ARS-N abrange sete concelhos], Porto e Braga registaram uma diminuição do número de novos casos, com a mesma a fixar-se nos 13%, 13% e 19%, respetivamente.

Manuela Micael / Atualizada às 18:12, com Lusa