A madrasta  e o pai de Valentina foram ouvidos, esta terça-feira à tarde. O inquérito à madrasta de Valentina terminou cerca das 17:00. Seguiu-se o interrogatório a Sandro Bernardo, o pai da menina, cujo interrogatório terminou pouco depois das 18:30.

O pai e a madrasta da menina são ambos suspeitos do homicídio da criança e da ocultação do cadáver. Foram detidos no último domingo, depois de o pai ter confessado o crime e ter levado a Polícia Judiciária até ao cadáver.

Os dois suspeitos  foram identificados durante a manhã e ouvidos, separadamente, pelo juiz de instrução do Tribunal de Leiria, esta tarde. A primeira a ser ouvida foi Márcia, que foi ouvida durante mais de duas horas. Seguiu-se Sandro, que esteve pouco mais de uma hora a ser ouvido.

À saída do tribunal, tanto a madrasta de Valentina como o pai da menina foram insultados por vários populares, que não arredam pé da frente do edifício. 

A autópsia ao corpo de Valentina, a menina de 9 anos que morreu em Atouguia da Baleia, em Peniche, confirma houve agressões e violência.

Segundo o resultado preliminar, a menina tem lesões na cabeça e indícios de asfixia. De acordo com fonte policial, embora haja indícios de asfixia, a criança de 9 anos terá sofrido agressões em vários locais, o que lhe causou diversas lesões.

Os resultados vêm assim confirmar a teoria da Polícia Judiciária de que a menina de nove anos foi morta em casa, num "contexto de violência" e não na sequência de um acidente, durante o dia de quarta-feira, tendo o corpo sido levado para a Serra d'El-Rei durante a noite do mesmo dia.

Estão, ainda, a ser feitos exames complementares, como, por exemplo, a deteção de algum tipo de medicamento que tenha sido administrado à criança, de modo a clarificar todas as circunstâncias que envolveram a morte da menor.

Daniela Rodrigues / com MM