Na ressaca da festa do título de campeão do Sporting, uma das perguntas que continua sem resposta é quem autorizou o ecrã gigante em Alvalade e a vinda das milhares de pessoas que se juntaram no Marquês de Pombal.

Uma das respostas veio do Sindicato dos Oficiais de Polícia que garante que a festa no Estádio não teve oposição da Câmara Municipal de Lisboa.

Primeiro, é preciso ter presente que todo aquele espetáculo foi montado ao abrigo do direito de manifestação e, portanto, parece-nos um bocadinho desajustado com aquele que é o alcance do diploma”, sublinha Bruno Pereira, o vice-presidente do Sindicato Nacional de Oficiais da Polícia.

O comissário da PSP diz que a polícia prestou um parecer técnico que deu nota negativa àquela que poderia ser a instalação de objetos ou de infraestrutura potenciadoras de um conjunto elevado de pessoas. “Esse parecer foi dado à Câmara Municipal e não foi dada qualquer resposta”, revela.

O Sindicato conta ainda que foi traçado um plano com o Governo e DGS, mas a PSP contrapôs esse plano com outro que incluísse o controlo de segurança de adeptos em Alvalade e no Marquês. Mas a proposta não foi aceite. 

Relativamente àquilo que foi o desfecho, não consigo responder. Mas, queremos acreditar que ela terá sido descartada em detrimento de outra proposta”, conta o comissário.

Bruno Pereira acredita ainda que esse não devia ter sido o modelo utilizado e que, por causa disso, a conquista do campeonato culminou em violência e detenções.

Gonçalo Nuno Cabral / HCL