A vacinação no Queimódromo do Porto foi suspensa pela coordenação da Task-Force de Vacinação "para averiguação do cumprimento das normas e procedimentos em vigor".

De acordo com nota da entidade coordenada por Gouveia e Melo, "esta decisão decorre de uma alegada falha na cadeia de frio".

Os utentes vacinados nos dias 09 e 10 de agosto serão contactados pelas entidades de saúde, até a próxima semana, no sentido de monitorizar a eficácia das vacinas inoculadas.Os agendamentos previstos para este centro de vacinação serão reagendados para outros centros nas proximidades.

"Dadas as características das vacinas contra a covid-19, não é expectável que a falha ocorrida no processo de conservação tenha impacto na saúde dos utentes", afirma fonte da Task-Force.

O Infarmed está a acompanhar a situação, sendo que qualquer suspeita de reação adversa deve ser comunicada através do Portal de Notificação de  Reações Adversas (RAM).

Os agendamentos previstos para o centro de vacinação, que funciona através da modalidade drive-thru,  serão reagendados para outros centros nas proximidades.

Será solicitada uma investigação sobre o incidente à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde.

Unilabs confirma “problema” no frigorifico das vacinas no Queimódromo do Porto

Os laboratórios Unilabs confirmaram à Lusa ter havido “um problema” no frigorífico de armazenamento das vacinas no centro de vacinação do Queimódromo, no Porto, tendo o mesmo sido resolvido logo que detetado.

A Unilabs confirma ter havido uma falha na cadeia de frio no centro de vacinação do Queimódromo, no Porto. A situação foi prontamente resolvida assim que detetada”, referiu fonte oficial da Unilabs.

Por este motivo, a vacinação contra a covid-19 no Queimódromo do Porto foi suspensa pela coordenação da ‘task-force’ e pedida uma investigação à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS), foi hoje anunciado.

A Unilabs explicou que “o problema ocorreu no frigorífico de armazenamento das vacinas, tendo a sua causa sido já devidamente analisada, interna e externamente, com as medidas de mitigação e reforço da prevenção desta ocorrência a serem postas em prática”.

Foram ainda alertadas as autoridades de saúde competentes no processo de vacinação para poderem ser postos em prática os protocolos necessários de salvaguarda de todos os utentes, acrescentou.

Temos, neste momento, as nossas equipas no terreno, com os demais parceiros do centro de vacinação do Queimódromo, estando operacionais a partir deste sábado para que, se as autoridades de saúde e a `Task-Force´ assim o entendam, possamos continuar a apoiar o país no esforço de vacinação”, concluiu a fonte.

Henrique Magalhães Claudino / com Lusa