O Ministério da Administração Interna decidiu hoje reforçar até ao final de outubro o dispositivo de combate a incêndios rurais com mais 624 bombeiros e 500 militares do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da GNR.

“Face às previsões meteorológicas para a segunda quinzena de outubro disponibilizadas pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) à Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o Ministério da Administração Interna (MAI) decidiu reforçar, até ao final do mês de outubro, o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais”, refere um comunicado do ministério tutelado por Eduardo Cabrita.

O MAI adianta que até 31 de outubro o dispositivo terrestre será reforçado com mais 624 bombeiros e cerca de 500 militares do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da GNR serão empenhados em ações de vigilância e fiscalização.

Os meios aéreos vão manter-se os já previstos no Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para esta altura do ano, designadamente 10 helicópteros ligeiros, três helicópteros ligeiros, seis aviões anfíbios médios e três helicópteros pesados.

O MAI refere que foi também decidido o incremento das ações de vigilância e fiscalização por parte da GNR e da PSP nas suas áreas de competência e o reforço da vigilância móvel terrestre, com base no empenhamento de patrulhas das Forças Armadas, sobretudo nas áreas mais sensíveis e vulneráveis.

No âmbito da Rede Nacional de Postos de Vigia, mantêm-se em funcionamento até ao dia 6 de novembro os postos da rede primária, num total de 72.

O MAI indica ainda que este reforço do dispositivo é concretizado de acordo com a flexibilidade operacional prevista na diretiva operacional que estabelece o DECIR.