Os enfermeiros marcaram uma greve para a primeira semana de novembro, anunciou fonte sindical, nesta terça-feira, em direto no programa "Esta Manhã" da TVI.

A decisão foi tomada por todos os sindicatos que representam os enfermeiros durante a reunião que teve início na tarde de segunda-feira e terminou esta madrugada, disse o presidente do Sindicato dos Enfermeiros, Pedro Costa.

A greve vai permitir que haja uma dupla responsabilidade: responder às justas reivindicações dos enfermeiros e valorizar o acesso dos cuidados de saúde à população", defendeu o sindicalista, considerando, ainda, que "os enfermeiros precisam de um sinal de força".

Foi decidido também marcar uma concentração para o dia 28 deste mês em frente à Assembleia da República.

A concentração de enfermeiros e de todos os sindicatos, em frente à Assembleia da República, visa reivindicar os direitos dos enfermeiros, com a entrega da petição “Enfermeiros reclamam descongelamento da carreira e avaliação de desempenho igual aos enfermeiros da Região Autónoma da Madeira”.

Apesar das medidas anunciadas, Pedro Costa admitiu que não se esgotou a capacidade de diálogo entre os sindicatos e o Governo.

Estiverem presentes na reunião as sete estruturas representantes da classe, nomeadamente o Sindicato dos Enfermeiros, o Sindicato do Enfermeiros Portugueses, o Sindicato dos Enfermeiros da Região Autónoma da Madeira, o Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal, o Sindicato Independente Profissionais de Enfermagem e o Sindicato Independente de Todos os Enfermeiros Unidos.

Redação / CM