A sentença de Rosa Grilo foi novamente adiada, sabe a TVI.

A defesa da arguida, suspeita do homicídio do marido, Luís Grilo, quer ouvir mais duas testemunhas, audição que terá lugar na próxima terça-feira, 18 de fevereiro, dia em que estaria prevista a leitura da sentença.

Rosa Grilo tinha alegado que os factos comunicados correspondiam a uma alteração substancial dos factos, ao contrário do que tinha determinado o tribunal.

No despacho, a que a TVI teve acesso, o tribunal vem contrariar o entendimento da defesa de Rosa Grilo e mantém a alteração não substancial dos factos que constavam na acusação, uma vez que desta alteração não resulta a aplicação de um crime diferente nem a agravação dos limites máximos dos crimes pelos quais a arguida vem acusada.

Rosa Grilo tinha requerido também a inquirição de cinco testemunhas e a junção de um documento ao processo. A TVI sabe que a mulher de Luís Grilo queria que fossem ouvidos os responsáveis dos departamentos jurídicos das empresas onde o casal tinha apólices de seguro, pretensão essa que foi negada pela presidente do coletivo de juízes.

Foi permitida apenas a inquirição de duas testemunhas, que só poderão responder a perguntas que tenham sido alvo da alteração não substancial de factos, que foi comunicada no passado dia 10 de janeiro.

Já António Joaquim não requereu qualquer produção de prova suplementar.

A sessão está marcada para a próxima terça-feira no tribunal de Loures.

António Assis Teixeira