Portugal registava, na segunda-feira, 476 surtos ativos no continente, dos quais 18 em lares de idosos e dois em instituições de saúde, segundo dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) avançados esta terça-feira à agência Lusa.

De acordo com a a DGS, “estes dados contrastam drasticamente com o máximo de surtos ativos registado em fevereiro de 2021, quando chegaram a existir em Portugal continental 921 surtos ativos”.

A maioria dos surtos ativos registou-se na Região de Lisboa e Vele do Tejo, com 350, enquanto a Região Norte tinha 46, o Algarve 31, o Alentejo 24 e a região Centro 25.

Segundo os dados da DGS, 84 surtos ativos diziam respeito a estabelecimentos de educação e ensino dos setores público e privado, que englobam escolas, ensino superior, creches e demais equipamentos sociais.

Um surto ativo é constituído por dois ou mais casos confirmados com ligação epidemiológica entre si no tempo e no espaço, explica a DGS, adiantando que “só depois de terem decorrido 28 dias após a data do diagnóstico do último caso confirmado (dois períodos de incubação sem novos casos) é que o surto é dado como encerrado”.

Portugal registou hoje nove mortos atribuídos à covid-19 e 2.650 novos casos de infeção, mais 868 do que na segunda-feira, segundo o boletim epidemiológico da DGS de hoje.

A maioria das infeções voltou a ser registada na região de Lisboa e Vale do Tejo, com 1.141 novos casos, o que representa 43% do total do país, que ultrapassou hoje os 912.406 casos acumulados.

Mais 13 pessoas estão internadas em enfermaria, num total de 742, e há menos dois doentes em unidades de cuidados intensivos, que acolhem agora 161 pessoas.

Segundo os dados avançados hoje à Lusa, a maior parte dos doentes internados em unidades de cuidados intensivos (UCI) tem entre 50 e 59 anos (43), seguidos dos 40 aos 49 anos (39), dos 60 aos 69 anos (31).

Vinte dos doentes internados em UCI têm entre 30 e 39 anos, 18 têm entre 70 e 79 anos, nove têm idades entre os 20 e os 29 anos e três têm mais de 80 anos.

Quantos aos doentes internados em enfermaria, os dados precisam que 104 têm mais de 80 anos, 100 têm idades entre os 40 e os 49 anos, 93 entre 70 e 79 anos, 86 estão na faixa dos 30 aos 39 anos e 79 têm entre 60 e 69 anos.

Há ainda 68 doentes que têm entre 50 e 59 anos e 26 estão na faixa etária dos 20 aos 29 anos, referem os dados da DGS, segundo os quais há quatro crianças com idades até aos nove anos internados em enfermaria, bem como seis jovens com idades entre os 10 e os 19 anos.

A pandemia de covid-19 já matou em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, 17.173 pessoas e foram registados 912.406 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde. 

/ RL