O secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais anunciou esta quarta-feira que o Governo vai continuar a apostar no atendimento por marcação da Autoridade Tributária, considerando-o "mais eficiente", mas mantendo o atendimento espontâneo.

Devemos insistir em desenvolver o atendimento por marcação, que é um atendimento de maior qualidade, que permite aos serviços preparar as questões que são colocadas pelos contribuintes e, dessa maneira, dar uma resposta mais adequada", afirmou António Mendonça Mendes, numa audição no parlamento sobre o Relatório de Combate à Fraude e Evasão Fiscais e Aduaneiras.

Mas esta aposta não significa, segundo o governante, que "não deva sempre existir atendimento espontâneo", mas antes que deve ser promovido, cada vez mais, o atendimento presencial por marcação, por ser um atendimento "mais eficiente, tanto para os cidadão como para a administração".

Em 2020, devido à pandemia da covid-19, os funcionários da Autoridade Tributária alteraram métodos de trabalho, como em muitos outros setores, passando para teletrabalho, mas mantendo o atendimento presencial por marcação.

/ AG