atentados terroristas







Seis ataques terroristas em Paris fizeram, na noite de sexta-feira, pelo menos 129 mortos, de entre os quais os dois portugueses, e 352 feridos, 99 em estado grave.

Oito terroristas, sete deles suicidas, que usaram cintos com explosivos para levar a cabo os atentados, morreram, segundo fontes policiais francesas.

Os ataques ocorreram em pelo menos seis locais diferentes da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como “ataques terroristas sem precedentes no país”.

O Estado Islâmico já reclamou a autoria dos atentados, enquanto o presidente francês, François Hollande, considerou estes ataques um " ato de guerra".

Autarca de Mértola lamenta morte de "filho da terra"


“Tive conhecimento dos atentados pela comunicação social e, depois, fiquei a saber que um dos portugueses que morreu era natural de Corte do Pinto (Mértola)”.

“Para nós, é um momento muito triste, é uma hora triste e não quero deixar de expressar os meus sentimentos a toda a família e amigos, assim como às restantes famílias que tiveram vítimas nestes atentados”.