A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem de 24 anos suspeito do homicídio do atleta de triplo salto Ricardo Jaquité, no passado dia 2 de dezembro, no concelho do Seixal, distrito de Setúbal, foi esta segunda-feira anunciado.

Em comunicado, a PJ de Setúbal adiantou que, na sequência de uma desavença com o “antigo atleta e ex-amigo”, o presumível homicida o esfaqueou nas mãos, na cabeça e no tronco, provocando-lhe diversas hemorragias internas que acabaram por lhe causa a morte.

O detido, indiciado pelos crimes de homicídio qualificado, detenção de arma proibida e omissão de auxílio, foi presente a tribunal, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Ricardo Jaquité, atleta que se destacou no triplo salto, morreu no dia 2 à noite no Hospital Garcia de Orta, em Almada, na sequência de um esfaqueamento ocorrido na via pública, no bairro da Arrentela, no vizinho concelho do Seixal.

A notícia da morte do internacional português, que tinha 31 anos, foi avançada no dia 3 pelo ‘site’ da Federação Portuguesa de Atletismo, na nota de pesar pelo sucedido. Sporting e Sporting de Braga, dois dos clubes que representou, também apresentaram notas de condolências.

Natural do Seixal, Ricardo Jaquité representou o Cavadas, Pinhalnovense, Casa do Benfica de Faro, Juventude Operária de Monte Abraão, Sporting e Sporting de Braga e chegou a representar Portugal no Europeu de Seleções, em 2017.

De momento sem clube, estava suspenso por ter acusado positivo num controlo antidoping em 2018 e poderia regressar à competição em 10 de fevereiro do próximo ano.

O óbito foi declarado já no Hospital Garcia de Orta, em Almada.

/ CE