Foi levantada a suspensão temporária ao lote XE 393 de vacinas da Janssen após relatos de vários desmaios num centro de vacinação de Mafra. A informação foi avançada pelo Infarmed em comunicado.

Uma decisão que surge depois da recolha e análise de amostras de todos os lotes da vacina contra a covid-19 da Janssen que se encontravam no circuito de distribuição.

Na sequência das investigações realizadas por esta Autoridade, informa-se que para o lote XE393 é revogada a decisão de suspensão de utilização do mesmo, podendo neste sentido ser utilizado pelos Centros de Vacinação, tendo em conta o previsto no Resumo das Características do Medicamento desta vacina, relativamente às suas condições de conservação, uma vez que não foi detetado qualquer defeito de qualidade com o mesmo", lê-se no comunicado. 

 

Foram realizados ensaios relativos às características físico-químicas da vacina, que comprovam a conformidade de todos os lotes que se encontram no circuito de distribuição, de acordo com as especificações aprovadas em sede de avaliação pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA)”, acrescentam. 

VEJA TAMBÉM:

Significa isto que o lote suspenso pode voltar a ser utilizado pelos centros de vacinação, não tendo sido "detetado qualquer defeito de qualidade com o mesmo”. 

Na quarta-feira, o Infarmed anunciou que estava a investigar a qualidade de vacinas da Janssen disponibilizadas no Centro de Vacinação Covid-19 de Mafra, depois de utentes terem desmaiado após terem sido vacinados.

A autoridade nacional do medicamento explicou, nesse mesmo dia, que as medidas surgem “no seguimento dos casos de reações adversas (síncope), notificados com a vacina da Janssen, no centro de vacinação de Mafra”.

Já esta quinta-feira, a task-force que coordena a vacinação em Portugal anunciou que a modalidade “casa aberta” foi suspensa devido à redução da disponibilidade de vacinas, na sequência da interrupção de um lote da marca Janssen.

Tendo em conta a suspensão de um lote de vacinas da marca Janssen (…) e a consequente redução na disponibilidade de vacinas, foi decidido suspender, de imediato, a modalidade “casa aberta”, referiu a nota.

Depois da divulgação das decisões do Infarmed, fonte da estrutura que coordena a logística da vacinação adiantou à Lusa que esta modalidade de vacinação será reaberta "logo que possível". 

Cátia Esteves Cláudia Évora / Notícia atualizada às 21:44