O Governo anunciou esta quinta-feira que a venda de autotestes para despistar a covid-19 vai poder passar a ser feita em supermercados.

A ministra Mariana Vieira da Silva justificou esta decisão com a atual "corrida contra o tempo entre a vacinação e a pandemia", que "exige cuidados e a insistência por parte de todos no processo de testagem".

"Governo aprovou hoje um decreto-lei que permite a venda dos autotestes nos supermercados", anunciou a ministra da Presidência. 

Durante a apresentação sobre as novas medidas para o combate à pandemia, a governante sublinhou que a incidência a 14 dias por cem mil habitantes é de 346,5 em Portugal continental e o índice de transmissibilidade está agora em 1,15.

A procura por autotestes tem crescido nas últimas semanas, especialmente após a última Resolução do Conselho de ministros que prevê que os restaurantes em concelhos de risco elevado ou muito elevado – um total de 60 – passam a ter de exigir certificado digital ou teste negativo à covid-19 a partir das 19:00 de sexta-feira e aos fins de semana para refeições no interior.

Segundo o diploma, esta exigência é dispensada “para a permanência dos cidadãos em esplanadas abertas, cujo funcionamento é permitido, nos horários previstos (…), independentemente da realização de teste, bem como para a mera entrada destes cidadãos no interior do estabelecimento para efeitos de acesso a serviços comuns, designadamente o acesso a instalações sanitárias e a sistemas de pagamento”.