Bruno de Carvalho e Nuno Mendes, conhecido como Mustafá, vão aguardar julgamento em liberdade. A informação foi avançada em primeira mão à TVI por fonte judicial.

O ex-presidente do Sporting e o líder da Juve Leo vão ficar sujeitos a apresentações diárias às autoridades e ainda terão de pagar uma caução de 70 mil euros. As apresentações diárias na esquadra da área de residência será feita num horário estabelecido, que pode ser alterado a pedido dos suspeitos. Quanto ao pagamento da caução, por norma os juízes decretam que o pagamento deve ser feito num prazo de dez dias, em todo o caso, a pedido dos arguidos, o prazo pode ser prorrogado. 

Segundo a nota do Tribunal do Barreiro, ambos os arguidos estão indiciados por 57 crimes: 20 crimes de ameaça agravada, 12 crimes de ofensa à integridade física qualificada, 20 crimes de sequestro, dois crimes de dano com violência, dois crimes de detenção de arma proibida e um crime de terrorismo.

Mustafá está ainda indiciado de um crime de tráfico de estupefacientes.

O juiz de Instrução Criminal Carlos Delca considerou que “a atuação dos arguidos revela um manifesto desprezo pelas consequências gravosas que provocam nas vítimas”.

No entanto, o juiz entendeu que “apenas em relação à prática do crime de tráfico de estupefacientes imputado ao arguido Nuno Mendes se verificam fortes os indícios resultantes dos elementos de prova constantes dos autos”.

A saída em liberdade de Bruno de Carvalho foi festejada por duas dezenas de apoiantes, que responderam com aplausos ao gesto de agradecimento do ex-presidente do Sporting numa janela do edifício.

A 15 de maio, a equipa de futebol do Sporting foi atacada na academia do clube por um grupo de cerca de 40 alegados adeptos encapuzados, que agrediram alguns jogadores, membros da equipa técnica e outros funcionários.

A GNR deteve no próprio dia 23 pessoas e efetuou, posteriormente, mais detenções, que elevaram para 38 o número de detidos, todos ainda em prisão preventiva, entre os quais está o antigo líder da Juventude Leonina Fernando Mendes.

 

Leia o documento do Tribunal do Barreiro na íntegra:

Medidas de Coação - Alcochete by TVI24 on Scribd