Portugal vai receber 1.150.000 doses antecipadas da vacina da Pfizer no 2.º trimestre, como parte do contrato celebrado entre a farmacêutica e a União Europeia, para a compra de 50 milhões de doses extra, cuja entrega estava prevista para o 4.º trimestre, mas que é agora antecipada.

Esta foi a resposta encontrada pela União Europeia para fazer face ao percalço ocorrido com a vacina da Johnson & Johnson, cuja administração está suspensa na União Europeia, depois de terem sido encontrados casos de coágulos em pessoas vacinadas com aquele produto.

A antecipação conseguida pela União Europeia faz parte de um pacote de 250 milhões de doses contratualizadas com a Pfizer, numa entrega que estava prevista para os últimos três meses do ano.

Para o 2.º trimestre do ano estava prevista a entrega de 1,25 milhões de doses da vacina da Johnson & Johnson, que tem a vantagem de ser administrada em dose única. A possibilidade de aquela vacina ser aprovada continua em cima da mesa, sendo esperada uma recomendação das autoridades europeias na próxima semana.

Assim, e mesmo com a antecipação das doses da Pfizer, Portugal fica com menos de metade das doses que esperava ter disponíveis da farmacêutica Johnson & Johnson, uma vez que a vacina da Pfizer é administrada em duas doses.

António Guimarães