"Em 2014, cerca de 70% das lâmpadas continuaram sem recolha", denuncia a associação de defesa do ambiente, salientando ser "imprescindível a criação de metas por categoria" já que a "credibilidade da gestão de REEE [resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos] [está] em causa".










"As lâmpadas têm elevados custos de tratamento levando a que as entidades gestoras, Amb3E e ERP Portugal, que ao longo de mais de 10 anos detêm licenças para a gestão dos REEE, tenham pouco interesse na recolha deste tipo de resíduos", defendeu a associação.


Redação / AM