A ANA – Aeroportos de Portugal alertou para possíveis constrangimentos nos aeroportos nacionais devido às greves convocadas pelos trabalhadores da Groundforce no fim de semana, segundo uma nota enviada à Lusa.

A ANA - Aeroportos de Portugal informa que, devido à greve (de dois dias) no serviço de 'handling' [assistência em terra] da Groundforce, com início às 00:00 de 17 de julho, são expectáveis constrangimentos, cancelamentos e atrasos nos voos assistidos pela Groundforce, nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro, Funchal e Porto Santo”, adiantou a gestora das infraestruturas.

A ANA recomendou ainda aos passageiros “que contactem antecipadamente a companhia aérea para obterem mais informações sobre o seu voo”, recordando que “a greve terá início às 00:00 de 17 de julho e terminará às 24:00 de 18 de julho”.

A gestora garantiu que “fará tudo o que estiver ao seu alcance para diminuir os constrangimentos causados aos passageiros”.

No início do mês, o Sindicato dos Técnicos de Handling de Aeroportos (STHA) convocou uma greve na Groundforce para os dias 17, 18 e 31 de julho, 01 e 02 de agosto, de acordo com um ofício, enviado na altura à Lusa.

Na mesma nota, a estrutura sindical detalhou que a paralisação abrange os trabalhadores da SPdH (Groundforce) de Lisboa, Porto, Faro, Funchal e Porto Santo e que decorrerá das 00:00 do dia 17 às 24:00 do dia 18 de julho de 2021 e das 00:00 do dia 31 de julho às 24:00 do dia 02 de agosto de 2021.

O STHA convocou ainda uma paralisação ao trabalho extraordinário das 00:00 de dia 15 de julho às 24:00 do dia 31 de outubro de 2021.

"Para os trabalhadores cujo horário de trabalho se inicie antes das 00:00 do dia 17 e 31 de julho ou termine depois das 24:00 do dia 18 de julho e 02 de agosto, se a maior parte do seu período normal de trabalho for coincidente com o período de tempo coberto por este aviso prévio de greve, o mesmo produzirá efeitos a partir da hora de entrada ao serviço, ou prolongar-se-á até à hora de saída", indicou o sindicato, na mesma nota.

O sindicato justificou a convocação desta greve "considerando que, desde fevereiro de 2021, que a SPdH vive uma situação de instabilidade insustentável, no que concerne ao pagamento pontual dos salários e outras componentes pecuniárias", acusando a TAP SGPS, SA, "na qualidade de acionista", de nada fazer "para garantir os salários dos trabalhadores da SPdH, não transferindo qualquer valor desde janeiro de 2021".

Também o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes de Portugal (STTAMP) e o Sindicato dos Trabalhadores dos Aeroportos Manutenção e Aviação (STAMA) convocaram uma greve na Groundforce entre hoje e 18 de julho, além de outras paralisações parciais.

/ HCL