O incêndio que hoje deflagrou numa fábrica de plásticos, componentes plásticos e carimbos em Serzedo "está dominado e já não se propaga para fora das instalações" disse, pelas 15:45, o comandante adjunto dos Sapadores de Vila Nova de Gaia.

Vítor Primo explicou aos jornalistas que este incêndio "teve muita intensidade" e obrigou a "operações muito difíceis" devido às características dos produtos armazenados na fábrica que apontou serem "muito tóxicos e muito densos".

O alerta para o incêndio na fábrica da Moldiflex foi dado às 12:26. 

O incêndio está dominado. A situação está controlada. Já não se propaga para fora das instalações. A cobertura ruiu e a fachada está em risco de ruir. Provavelmente, o que não cair, terá de ser deitado abaixo. Foi uma operação difícil porque os produtos existentes obrigavam a muita cautela. Acredito que as instalações terão de ser reconstruídas. Os 35 funcionários saíram em segurança do edifício que foi evacuado logo que se detetou o incêndio", indicou o comandante.

Operações de rescaldo "demoradas"

O incêndio "está em fase de rescaldo, mas as operações adivinham-se demoradas", disse, pelas 18:30, Vítor Primo.

As operações de rescaldo serão, provavelmente, muito demoradas. Não há condições de segurança para entrar na fábrica. Contamos com uma hora ou duas para concluir operações, se não mais. Resistem alguns focos de incêndio, mas são marginais."

No local permanecem elementos dos Sapadores de Gaia, bem como dos Bombeiros Voluntários da Aguda, num total de 15 bombeiros e sete viaturas.