Até terminar 2019, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras tem 141 mil marcações agendadas para atendimento de imigrantes. O SEF suspendeu, por isso, as marcações para atendimento de imigrantes.

Há falta de pessoal face ao aumento da procura e, só no ano passado, houve mais de 90 mil estrangeiros a pedirem para viver em Portugal.

O calendário do SEF está cheio para todos os postos de atendimento no continente e nas ilhas até ao final do ano.

A falta de vagas afeta os serviços que tratam das autorizações de residência em renovações.

O SEF diz, no entanto, que se trata de uma situação temporária.

Só no primeiro semestre foram atendidas mais de 155 mil pessoas em todos os balcões e até ao final do ano há ainda 141 mil agendamentos marcados.

Para fazer face ao aumento de pedidos, há inspetores "desviados" da fiscalização para trabalho administrativo, um caso denunciado pelos sindicatos.

Entretanto, está já a decorrer um concurso para a contratação de 116 assistentes técnicos, exclusivamente para o atendimento ao público.