A Ordem dos Médicos (OM) condenou hoje como comportamentos “inaceitáveis e indignos” os insultos ao coordenador da ‘task force’ da vacinação contra a covid-19 em Odivelas e a vandalização do centro de vacinação da Azambuja.

Afirmando o “maior repúdio” por estas situações, o bastonário da OM, Miguel Guimarães, e o coordenador do gabinete de crise da OM para a covid-19, Filipe Froes, manifestaram também, em comunicado, “total solidariedade e agradecimento ao vice-almirante Gouveia e Melo e à ‘task force’ para a vacinação, bem como a todos os médicos e outros profissionais de saúde”.

A OM enalteceu ainda a “elevadíssima adesão à vacinação” pelos jovens e a sua “resposta de civismo e responsabilidade” face aos incidentes dos últimos dias, reforçando o valor da vacina para a proteção contra a variante Delta do vírus SARS-CoV-2.

A vacinação diminui em oito vezes o risco de contrair a infeção e em 25 vezes o risco de internamento e morte”, sublinha a OM no comunicado.

No sábado, o coordenador da ‘task force’, Gouveia e Melo, foi recebido com insultos por manifestantes anti-vacinação junto de um centro de vacinação em Odivelas e na noite de domingo para segunda-feira, o centro de vacinação da Azambuja foi alvo de vandalismo, com a destruição de estruturas colocadas no exterior e pintura do chão e escadas de acesso.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.573 pessoas e foram registados 1.004.470 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

/ JGR