Três indivíduos detidos pela GNR em 2017, quando alegadamente se preparavam para assaltar uma loja de compra de ouro em Ovar, remeteram-se esta terça-feira ao silêncio no início do seu julgamento, no Tribunal de Aveiro.

Os arguidos, um dos quais encontra-se detido, estão acusados de falsificação de documento e detenção ilegal de arma. O condutor da viatura responde ainda por um crime de condução sem carta.

O processo envolvia um quarto elemento que será julgado à parte, por se encontrar em parte incerta.

Os factos ocorreram na manhã de 13 de fevereiro de 2017.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), consultada pela Lusa, os suspeitos estavam dentro de uma viatura estacionada em frente a uma loja de compra de ouro, munidos com uma caçadeira de canos serrados.

Um morador que estranhou a presença da viatura naquele local alertou a GNR que fez deslocar para o local duas patrulhas.

Os militares abordaram a viatura e ordenaram que os ocupantes saíssem com as mãos no ar, mas estes não acataram a ordem e saíram dali a alta velocidade, tendo sido disparados vários tiros para o ar e na direção da viatura.

Os indivíduos acabaram por se despistar a poucos metros daquele local e fugiram a pé, acabando por ser capturados poucas horas depois.