A Polícia Judiciária deteve oito suspeitos numa megaoperação relacionada com o caso Tancos. Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República esclarece que as detenções foram feitas esta segunda-feira e que foram também realizadas dezenas de buscas, nas zonas Centro e Sul do país.

"Neste inquérito investigam-se as circunstâncias em que ocorreu o furto de material de guerra, entre a noite do dia 27 e a madrugada do dia 28 de junho de 2017, no Paiol de Tancos. Em causa estão factos suscetíveis de integrarem crimes de associação criminosa, furto, detenção e tráfico de armas, terrorismo internacional e tráfico de estupefacientes", lê-se ainda no comunicado.

Na operação participaram três magistrados do Ministério Público e 85 investigadores.

A TVI sabe que, esta segunda-feira, no âmbito da mesma operação, um militar recebeu um mandado de comparência imediata, para ser ouvido, não tendo sido detido. 

O inquérito está a cargo do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP). O Ministério Público é coadjuvado pela Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária, a qual conta com a colaboração de diversas unidades da PJ.

Os detidos serão presentes ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa para aplicação das medidas de coação.