A responsável de políticas públicas da Google Portugal, Helena Martins, defendeu hoje que a "democracia depende do acesso à informação de qualidade" e que a tecnológica vai ter um "conjunto de iniciativas" no âmbito das eleições na Europa.

Helena Martins falava à Lusa no dia em que foi assinado um acordo entre a Google e a Associação Portuguesa de Imprensa (API) para a promoção de literacia dos media em jovens e seniores, incluindo ferramentas para combater 'fake news' [desinformação ou notícias falseadas].

O apoio financeiro da Google a este projeto é de 250 mil euros.

Este protocolo, no âmbito do projeto Media Veritas, propõe-se disponibilizar "assinaturas de jornais a professores" para que os usem nas aulas, com os alunos, de acordo com a API, além de levar os jornais também aos clubes, centros de dia e outras instituições que reúnam os idosos.

De acordo com Helena Martins, este é apenas uma das iniciativas da Google, que através do fundo de inovação DNI tem apoiado os media na Europa, entre os quais os portugueses, que se candidatam ao programa.

A desinformação é um desafio global", pelo que "necessitamos da colaboração de todos", acrescentou a responsável por políticas públicas da Google Portugal.

Para a Google, "a democracia saudável depende do acesso à informação de qualidade" e o combate às 'fake news' não tem "resposta única".

Ou seja, "acreditamos em trabalho colaborativo", quer seja com os media, com os governos, entre outras entidades, acrescentou.

Questionada sobre o facto de a Europa atravessar nos próximos dois anos – até 2020 – cerca de 50 atos eleitorais, Helena Martins disse que a Google está atenta a isso, estando previsto um "conjunto de iniciativas".

Em Portugal vamos promover 'workshops' para partidos políticos e candidatos", onde a Google vai mostrar como é que os seus produtos funcionam e como é possível detetar 'fake news', explicou.

A desinformação está "super na ordem do dia" e para a Google é importante que os eleitores saibam como obter informação credível.

O projeto da API é financiado pelo Google.org, o braço filantrópico do Google, em colaboração com o 'Google News Initiative'.

A Google lançou no ano passado este projeto para o combate às ‘fake news’, que inclui o desenvolvimento de ferramentas, parcerias com organizações da área da comunicação social e programas de apoio para ajudar à inovação no setor.