O Ministério Público (MP) acusou um padrasto de abuso sexual de uma enteada, à data dos factos com 9 anos, no concelho de Vila do Conde, informou a Procuradoria-geral Distrital (PGD) do Porto .

“Em causa está a conduta de um arguido que, no decurso do ano de 2018, por várias vezes, aproveitando a circunstância de estar desempregado e [de] passar períodos do dia em casa com a filha da companheira, manteve com a criança, então com 9 anos, contactos de natureza sexual”, refere uma nota publicada na página da internet da PGD.

À data dos factos, “o agregado familiar residia em Tenerife (Espanha), onde ocorreu a maior parte dos abusos”, acrescentando a nota que os mesmos “cessaram quando o arguido foi surpreendido por terceiros, numa ocasião em que a família se tinha deslocado a Portugal”.

O MP requereu também o arbitramento de quantia a título de reparação pelo prejuízo sofrido pela vítima.

A acusação foi deduzida em 17 de março deste ano pelo Ministério Público no Departamento de Investigação e Ação Penal da Comarca do Porto (Secção de Vila do Conde).

O arguido está acusado de um crime de abuso sexual agravado.

/ AM