O cavaleiro João Moura foi detido, esta quarta-feira, por suspeitas do crime de maus-tratos a animais de companhia. João Moura é criador de cães da raça Galgo. 

Fonte ouvida pela TVI, que pediu anonimato, avançou que ao todo foram retirados 18 cães da quinta de João Moura.

Os cães retirados pela GNR de Monforte apresentavam sinais de maus-tratos, como magreza extrema e "alguns tinham doenças como leishmaniose".

Os galgos vão ser realojados, esta quinta-feira, em várias associações de resgate de animais.

Fonte da GNR, contactada pela Lusa, adiantou que a detenção ocorreu no seguimento de uma investigação realizada pelo Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA).

Segundo a fonte da guarda, "houve um auto de notícia elaborado pela GNR, há algumas semanas, que originou um processo-crime que está na fase de inquérito".

O Ministério Público delegou na GNR a elaboração do inquérito e, no âmbito das diligências de investigação que foram desenvolvidas, o MP "propôs o mandado de busca na propriedade do visado, em Monforte", acrescentou a mesma fonte.

João Moura foi constituído arguido e sujeito a termo de identidade e residência, tendo sido interrogado quarta-feira à tarde, no âmbito do inquérito, por um procurador do Ministério Público do Tribunal de Portalegre.

TVI acompanhou, durante o ano passado, várias corridas de galgos pelo país e revelou os maus-tratos a que estes cães estão sujeitos.