O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) admitiu, este domingo, que as cinzas do vulcão Cumbre Vieja podem chegar ao arquipélago da Madeira. 

Os efeitos mais prováveis da erupção do Cumbre Vieja na Região Autónoma da Madeira estão associados ao transporte de cinzas vulcânicas e outros compostos químicos, designadamente CO2 e SO2", lê-se numa nota no site. 

No entanto, como a previsão para os próximos dia é de vento dominante do quadrante norte, "o impacto previsto para esta região não deverá corresponder a uma situação crítica". 

O IPMA esclarece ainda que tem acompanhado, junto do Instituto Geográfico Nacional e da Agência Meteorológica de Espanha (AEMET), a crise sismovulcânica que, desde o dia 11 de setembro, tem sido observada na Ilha de La Palma e que o vai continuar a fazer.

O IPMA continuará a seguir a situação, em estreita ligação com as organizações homólogas de Espanha, em particular no que diz respeito a impactos nas Ilhas de Madeira e Porto Santo, incluindo o que diz respeito à meteorologia aeronáutica."

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou este domingo em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região.

O Cumbre Vieja é um dos complexos vulcânicos mais ativos das ilhas Canárias, sendo o responsável por duas das três últimas erupções nas ilhas, o vulcão San Juan (1949) e o Teneguía (1971).

Cláudia Évora